javascript:;

Sobre Mim

Segundo aos meus pais, nasci em Curitiba PR, numa terça-feira, no dia 10 de abril no ano de 2001 ás 15:45. Depois daí, fiquei sendo a caçula da família.


Nessa época, meu pais só tinham um filho, meu irmão mais velho, Eric Adams, que tinha nove anos. Até hoje ele nunca se cansou de mim, sempre me ajuda quando preciso, mas também é chato de vez enquanto.

Quando estava perto de fazer dois anos, vim morar aqui no Rio Grande do Norte, onde mora minha enorme família: meus avós, minhas tias, tios, meus primos e primas.

Quando eu tinha dois anos, deixei de ser a caçula, minha irmã Estefhany Magali nasceu. Nunca me deixa em paz, sempre do meu lado, mesmo que eu não queira. Mesmo assim, é minha “irmãzinha” mais nova (coloquei aspas na palavra irmãzinha porque, hoje, ela é mais alta que eu).

No dia 27 de junho de 2004, no dia do aniversário do meu pai e do meu primo Gabriel, meu avô materno morreu. No tempo, eu tinha acabado de fazer três anos. De noite, quase todos da minha família foram para casa da minha avó. Na idade que eu tinha, não entendia porque, mas naquela noite, todos choravam. Só quero dizer uma coisa: se eu fosse mais velha naquele tempo, eu também teria chorado. Alguns anos depois meu avô paterno morreu.

Quando fiz quatro anos, aprendi a ler, depois disso não parei mais: até hoje, assim que termino um livro, já estou lendo outro (é verdade mesmo, viu?).
Quando estava perto de fazer cinco anos, meus pais descobriram que eu tinha diabetes, não gostei nada (apesar de eu não saber o que era quando tinha cinco anos), se eu não me engano, fiquei seis dias em um hospital (não lembro o nome agora). Desde então, minha vida nunca foi mais normal: não posso comer nada que contém açúcar de qualidade nenhuma, nem de balas e pirulitos a bolos de aniversário.

Em 2009, passei a estudar no anexo do Centro Educacional. Fazia o 3º ano. Lá conheci muitas crianças, que no tempo, nunca imaginei que, hoje, seriam meus melhores amigos.
No 3º ano não aconteceu tanta coisa, tudo foi acontecer no ano seguinte, quando eu estava fazendo o 4º ano. No dia 10 de maio, eu conheci Marina, eu já tinha estudado com ela no 3º ano, mas só foi depois disso que nós ficamos melhores amigas:
Minha história com minha melhor amiga!

Minha história com Marina até que é engraçada. Tudo começou no banheiro da escola (teve que ser no lugar mais nojento da escola?)...
... Simplesmente, começamos a conversar, e de repente, ficamos amigas (só isso).
----- Fim -----
Quando eu fiz 09 anos, comecei a escrever as minhas histórias e poesias. Acho que comecei a escrever porque eu lia muito. Hoje, nunca publiquei um livro ainda. Meu sonho é, de um dia chegar a publicar uns 50 livros e abrir a minha própria editora de livros infantis.

            Eu nunca gosto de faltar aula, pois sou muito esforçada e procuro sempre tirar boas notas. Se eu falto um dia, eu fico muito triste. Adoro muito todas as matérias da escola.

            Nos três anos que estudei no anexo, o melhor foi o 5º ano. Minha professora era Edja Brandão. Nesse ano, tive uma “inimiga”, uma daquelas patricinhas mimadas (não vou dizer o nome dela, é segredo...). No começo, era ela e mais uma garota. Depois, foi infectando todo mundo ate encontrar mais três, que hoje, nem ligam mais tanto para ela.
            Foi também no 5º ano que, num concurso das escolas da cidade, que eu ganhei, em 2º lugar, o concurso de melhor cartaz sobre o meio ambiente. Como premio, ganhei um relógio (nunca o usei, quem usa é minha mãe, já que é relógio de adulto).
            Agora, no 6º ano, ainda não me acostumei com vários professores. Nos anos anteriores, ficava pensando com iria ser. Hoje, estou vendo com é (até que estou gostando).

            Essas são umas das coisas da minha vida (tem muitas coisas a mais, mais não dá para contar tudo agora).



 

Ass. Emely Luize      

0 comentários:

Postar um comentário

 
Palavras divertidas © 2012 | Todos os Direitos Reservados | Design by Bety Santana